Arquivo de tag DROGARIAS

CCT 2021/2023 FOI ACORDADA ENTRE DROGARIAS E FARMACÊUTICOS DE RONDÔNIA

Aconteceu na tarde desta Quarta-Feira de Cinzas (17), a primeira e única rodada de negociações entre o sindicato dos Farmacêuticos e a representação patronal das farmácias e drogarias no Estado de Rondônia.

Uma reunião tensa, com mais de 2 horas de duração, as partes chegaram a um consenso para estabelecer a Convenção Coletiva de Trabalho, que terá vigência a partir do dia 1º de fevereiro de 2021 até 31 de janeiro de 2023.

A CCT terá vigência de 2 anos, porém, as cláusulas econômicas, terão duração de 1 ano.

PISO SALARIAL / REAJUSTE

O piso salarial da categoria terá o reajuste de 4,5%, passando dos atuais R$ 3.531,84, para R$ 3.690,77, para a jornada de 44 horas semanais. Os pisos salariais das demais jornadas serão proporcionais para 36h, 24h e 20h.

JORNADA 12 X 36

A jornada de 12×36, foi o ponto mais polemico da reunião. Com argumentos de ambas as partes, a jornada especial de trabalho, será tratada por meio de acordo coletivo de trabalho, apenas com a empresas que tiverem interessem na implantação dos plantões. Não será mais permitida, sem a devida regulamentação.

CONTRACHEQUES

Foi acordado entre as partes que os comprovantes de pagamento, conhecidos como contracheques, poderão ser feitos por meio eletrônico.

TICKET ALIMENTAÇÃO

O ticket alimentação, também será reajustado em 4,5%, passando de R$ 19,76 para R$ 20,65. E de R$ 14,00, para R$ 14,63, para quem realiza as jornadas de 44h e 36h, respectivamente.

Será lavrada a ata da reunião pelos presentes, e depois o texto da CCT 2021/2023, será encaminhada para registro no sistema mediador.

Da redação.

FARMACÊUTICOS E PROPRIETÁRIOS DE DROGARIAS FAZEM A PRIMEIRA REUNIÃO DE NEGOCIAÇÃO DA CCT 2021

Na tarde desta quarta-feira (17), acontecerá a primeira reunião de medicação entre os Farmacêuticos e a representação patronal das farmácias e drogarias no Estado de Rondônia.

A reunião será para ajustar as propostas enviadas pela categoria profissional e a contraproposta enviada pela representação patronal.

Entre os pontos divergentes, estão as escalas de plantão 12 x 36. Os Farmacêuticos querem a exclusão dessa modalidade, sob a alegação de que os patrões não respeitam o limite semanal de 44 horas da jornada de trabalho e nem o descanso semanal previsto no artigo 67 da CLT.

A categoria profissional propôs 5% de reposição salarial, para compensar as perdas inflacionárias do último ano. A representação patronal, por sua vez, fez a contraproposta de, apenas 2,5%.

Segundo Presidente do Sindicato dos Farmacêuticos, Antônio de Paula Freitas Junior, “A contraproposta patronal demonstra claramente que eles não estão levando as negociações a sério. O IBGE publica mensalmente, o INPC e a representação patronal vêm com uma reposição bem abaixo da inflação!?! Só pensam em lucro e explorar os trabalhadores”.

DATA BASE.

O Tribunal Regional do Trabalho da 14ª região, acatou o pedido de garantia da data base da categoria, que venceu no dia 1º de fevereiro. “Como a representação patronal não apresentou a contraproposta e nem garantiu a prorrogação da data base, tivemos que adotar as medidas necessárias para proteger os interesses da categoria junto a justiça do trabalho”, finalizou Freitas Junior.

Da redação.